A entrevista da cantora Fernanda Brum ao programa The Noite, no SBT, se mostrou uma oportunidade de falar a um grande público sobre a perseguição religiosa que centenas de milhões de cristãos sofrem ao redor do mundo.

A recepção feita pela banda Ultraje a Rigor à cantora foi feita com a música Amazing Grace, tida como um dos clássicos da música cristã nos Estados Unidos, com dezenas de interpretações virtuosas, incluindo o falecido cantor Elvis Presley.

Na conversa com o apresentador Danilo Genti, Fernanda Brum falou também sobre sua carreira na música gospel, seu ministério pastoral ao lado do marido, Emerson Pinheiro, e deu enfoque ao trabalho das mulheres no meio cristão e grupo de fiéis conhecido como Igreja Perseguida.

“Há mais de 200 milhões de perseguidos no planeta. Você não pode ser cristão, não pode falar na televisão que é cristão, porque vai ser morto em praça pública. Há uma intolerância muito grande. Há mais cristãos martirizados hoje no planeta que no tempo dos discípulos. Em alguns países da África você não pode cantar uma canção evangélica”, comentou.

Fernanda Brum falou ainda de seu trabalho em parceria com entidades missionárias como a Portas Abertas e Mais, e citando trabalhos dessas organizações, chamou atenção para a situação alarmante, devido à intensidade de perseguição, dos cristãos que vivem no Iraque, China e outros países.

O testemunho da cantora foi abordado na conversa, e ela falou sobre o livro em que relata o impacto que o Evangelho de Jesus exerceu em sua vida, a transformação e todo a jornada desde então, com o crescimento ministerial e as oportunidades de compartilhar a mensagem da Bíblia.

“O livro trata de assuntos sobrenaturais, trata de conversão mesmo, de gente que largou o pecado, tipo eu, e mergulhou no Evangelho puro e simples. Porque sinceramente, o Evangelho não é pesado, não é um bicho de sete cabeças”, comentou a cantora.

Mais à frente, se preocupou em detalhar do que se trata o Evangelho, na prática, para quem aceita a Jesus: “É liberdade, é transformação, é deixar de fazer o que estava errado, começar a fazer o que é certo, ter unidade com o irmão, ser tolerante com o outro, apesar de discordar… o Evangelho é lindo. Se as pessoas não tivessem tanta encrenca com a igreja, teriam mais experiências com o Evangelho”, pontuou.

Confira a entrevista de Fernanda Brum a Danilo Gentili, no The Noite:

 

Comentários

comentários