A morte de Montagner, o amor de Deus e as “superstições evangélicas”

Autor: Professor Ev. João Moreno

Uma dos artigos que tratavam sobre a morte do ator fazia uma analogia com o personagem Nego D’agua. Foto: Reprodução

Na quinta feira, dia 15 de setembro, o ator Domingos Montagner, da Rede Globo, morreu aos 54 anos, afogado no Rio São Francisco, em Canindé de São Francisco, SE.

Não demorou muito para surgirem mensagens em grupos do WhatsApp dizendo: “Com Deus não se brinca”, “a novela invocou espíritos do mal e Deus castigou,” e muitas outras frases sem lógica nem respaldo bíblico. Por que digo que esses pensamentos não têm respaldo bíblico? Falarei sobre isto nos pontos elencados abaixo em forma de perguntas:

1) 17 pessoas morrem afogadas, por dia, no Brasil. Todas elas são alvos da ira de Deus?
2) Todos os que morreram afogados nas águas do velho Chico, estavam na mira da ira divina?
3) Por que Deus escolheria Montagner para punir? Não seria mais razoável punir os responsáveis pela novela “Velho Chico”, e até mesmo os donos da Rede Globo?
4) Que Deus é esse que se aproveita de uma vontade de mergulhar no rio para acabar com uma vida?
5) Não diz a Bíblia que o Eterno não tem prazer na morte do homem?
6) O perverso e ímpio rei Acabe obteve a misericórdia de Deus quando precisou, por que Montagner receberia a ira divina. Por acaso Deus faz acepção de pessoas? Ele amou mais o ímpio Acabe do que o simpático ator da Globo?
7) Se Deus é amor, não seria mais coerente com esse amor salvar Montagner e dar-lhe uma oportunidade para o perdão de todos os seus pecados? (não quero fazer pré-julgamento sobre a vida espiritual do ator falecido).

Como podemos perceber, as afirmações preconceituosas sobre esse tema dão a ideia de que os homens não são responsáveis pelos seus atos e colocam Deus como autor direto dos males na sociedade.

SE DEUS MATOU MONTAGNER, ENTÃO FOI ELE QUEM COLOCOU NO ATOR O DESEJO DE IR PARA O RIO, E UMA VEZ NO RIO, O ALTÍSSIMO MANDOU UMA CORRENTEZA PARA MATAR O ATOR.

ESSE PENSAMENTO É CRUEL, TRANSMITE A IDEIA DE UM DEUS CARRASCO.

ESTE NÃO É O DEUS QUE EU CONHEÇO E SIRVO DESDE MINHA INFÂNCIA.

De acordo com Efésios 3.18,19, o amor de Deus é incompreensível, inimaginável.

O amor de Deus por Domingos Montagner era tão grande, mas tão grande, que se dependesse de Deus o ator não teria mergulhado naquele rio. Mas isso é questão para um outro tema: o livre arbítrio que Deus deu aos homens. O homem é um ser racional e livre, responsável direto por seus atos.

Tinha razão o poeta ao escrever a seguinte canção:

“O amor de Deus é singular,

Ninguém jamais pode explicar.

É bem mais vasto que o escacéu

É mais sublime alem do véu.

Aos nossos pais que transgrediram

Deus prometeu Jesus.

Que amor sem par eles ouviram,

linda promessa da Cruz.

O amor de Deus tão rico e puro,

Ao homem vil salvou.

E na paz sem fim é bem seguro,

Ao céu de luz eu vou.

E quando o tempo se passar,

tronos e reinos vão ruir.

Homens ingratos vão clamar

Queiram os montes nos cobrir.

Porém o amor de Deus perdura

Mesmo em tristeza e dor.
Em vida eterna bem segura
Tenho que crer no amor.

Se os mares fossem tintas,

E o céu sem fim fossem papel,

E as aves todas fossem penas

E os homens todos escrivães

Nem assim o Amor seria

descrito em seu fulgor.

Oh! Maravilha deslumbrante

É esse eternal Amor.

O amor de Deus tão rico e puro,

Ao homem vil salvou.

E na paz sem fim é bem seguro,
Ao céu de luz eu vou.”

DEUS CHOROU PELA MORTE DE MONTAGNER e também chorou pelas mortes em Santa Maria (RS).

Blog do autor: http://ofarolblog.blogspot.com.br/