Deputado Ezequiel Teixeira fala sobre corrupção: “quando o ímpio governa, o povo geme”

O deputado Ezequiel Teixeira (PTN/RJ) tem trabalhado na comissão que analisa o projeto de lei sobre a aprovação das “10 Medidas Contra a Corrupção”, assunto que vem dominando o cenário político nas últimas semanas.

Favorável a aprovação de todas elas, o parlamentar já deixou claro várias vezes que “abomina a corrupção”. Para ele, que também é apóstolo da Igreja Projeto Vida Nova, este é um “espírito maligno infiltrado nas instituições”.

Além de atuar para que ajam mudanças a nível nacional, ele usou a tribuna da Câmara dos Deputados para analisar a situação calamitosa pela qual passa o Rio de Janeiro. O político já pediu o impeachment do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que decretou a falência nas contas do estado.

Em um discurso enfático, Ezequiel desabafou: “Governador [Pezão], você e Cabral roubaram a dignidade do povo do Rio de Janeiro! O problema do Rio não é a falta de recursos e sim o excesso de corrupção do seu governo, herança do Sérgio Cabral”.

Enumerando uma série de denúncias que vem sendo divulgadas pela mídia após a prisão do ex-governador, destacou que o problema do estado “não é a falta de dinheiro e sim a gestão recheada de incompetência e atos de improbidade”. Fez um apelo em nome dos funcionários públicos e de suas famílias, que estão passando por graves dificuldades após o atraso dos salários e o anúncio de medidas de contensão, no chamado “pacote de maldades”.

Lembrou ainda que a situação seria diferente, caso nos últimos anos o governo estadual não tivesse renunciado a mais 140 bilhões em receitas, favorecendo sobretudo a empresários. Para Ezequiel a falência decretada nas contas públicas é “Tudo fruto da corrupção de seu governo [Pezão]”.

O fracasso na saúde, na educação e na segurança foram algumas das consequências do mau uso do erário público, resumiu Teixeira. Para o deputado, existem muitas questões a serem esclarecidas, inclusive os gastos excessivos do que classificou de “farra gay com dinheiro público”, numa referência aos gastos com uma festa de casamento gay luxuosa.

Citando a Bíblia, lembrou ainda o ensinamento de Provérbios 29:2: “Quando os justos governam o povo se alegra; mas quando o ímpio governa, o povo geme”.

Frisou ainda que parte do problema se deve ao relacionamento do governo do PMDB do Rio com o ex-presidente Lula, sobretudo por causa dos superfaturamentos em obras para a Copa do Mundo e das Olimpíadas. “Governador Pezão… pede para sair. O povo não pode continuar sofrendo”, encerrou. Com informações gospelprime.