Casal desiste de fazer aborto e vê milagre em seu bebê: “Clamamos a Deus por perdão”

Jason, Summer e a pequena Finley. (Imagem: Youtube)

A jovem Summer tinha acabado de concluir o ensino médio e tinha paixão por competições de rodeio quando ela conheceu o homem que atualmente é seu marido, Jason. Os pais dela pais tinham esperanças de que ela fosse para a faculdade e Jason estava planejado sua gradução em um nível superior de ensino. Mas quando os dois se encontraram e começaram a namorar, o pai de Summer não aprovou a relação por causa da diferença de idade entre os dois. Quando ela ficou grávida, acreditou que a chegada de um bebê tornaria o seu relacionamento com os pais ainda mais conturbado.

“Eu tentava me dividir entre escola, trabalho, meus cavalos e meu namorado”, disse ela em seu vídeo no YouTube, intitulado “Vida após o aborto: A História de Nosso Bebê Milagroso”. “Além disso eu tive que passar uma semana fora da cidade, por causa de uma apresentação com cavalos. Eu estava certa de que estava grávida”.

Quando voltou para casa, após suas apresentações em eventos de rodeio, Summer imediatamente fez dois testes de gravidez. Ambos deram positivo e ela começou a entrar em pânico.

“Como vou conseguir participar dos rodeios agora? O que as pessoas vão pensar de mim? Meus pais vão me matar! Eu não estou pronta para ser uma mãe ainda”, disse ela na época em que descobriu sua gravidez.

Mas apesar de seus medos, ela decidiu fazer uma surpresa para Jason com um teste de gravidez embrulhado em papel de presente. A primeira reação do rapaz foi de alegria, mas isso logo se dissipou quando ele pensou no pai de Summer e como ele iria reagir.

Querendo confirmar a gravidez, eles procuraram uma clínica da ‘Planned Parenthood’ – muito conhecida por realizar procedimentos de aborto nos EUA.

“Quando abrimos as portas, havia uma longa fila de mulheres de todas as idades ali”, disse Summer. “Havia um clima de mágoa, mas eles retrataram que tudo aquilo era normal. Então pegamos um senha e nos sentamos para esperar”.

Quando o número de Summer foi chamado, a equipe da clínica não permitiu que Jason a acompanhasse. Sozinha, Summer confirmou que ela estava de fato grávida e que a gestação já tinha sete semanas. Ela tinha que ligar para Jason para contar a ele as novidades. Foi então quando ambos concordaram que não estavam prontos para serem pais e que iriam abortar a criança.

“Em meu coração, eu sabia que estava errada”, disse Summer. “Eu não queria fazer aquilo, mas eu pensava que não tinha outra escolha. O médico entrou e imediatamente começou a mostrar as pílulas que eu teria que tomar para ‘abortar com sucesso’ meu bebê evitando assim a necessidade de um procedimento cirúrgico no futuro. Eu fiquei cada vez mais hesitante, me perguntando se eu estava fazendo a coisa certa. Mas finalmente me convenci de que ‘não havia outra opção’. Então eu balancei silenciosamente minha cabeça enquanto eu escutava as instruções”.

A ‘Planned Parenthood’ é responsável pela morte de mais de 6 milhões de bebês em procedimentos abortivos e recentemente foi flagrada em um escândalo de comércio ilegal de tecidos fetais. (Foto: Reuters)

A jovem tomou a primeira pílula, que começaria a quebrar a placenta, cortando o fornecimento de nutrientes ao bebê. Ela tomaria mais duas pílulas no dia seguinte e foi avisada que deveria esperar um sangramento pesado e a possibilidade até mesmo de ver seu bebê sendo expelido.

Depois de tomar a primeira pílula, Summer sentiu-se imediatamente triste. Ela e Jason choraram enquanto estavam no carro, voltando para casa.

“Nós tentamos fazer o nosso melhor para nos livrar da culpa pelo o que acabávamos de cometer, mas a angústia e o arrependimento cresceram em nós de forma tão esmagadora que tivemos de sair da estrada e encostar o carro”, ela explicou. “Sabíamos que havíamos cometido o maior erro de nossas vidas”.

Arrependimento
Jason ligou para a ‘Planned Parenthood’ para perguntar se havia alguma coisa que eles poderiam fazer para impedir o aborto, mas a clínica lhe disse que era tarde demais e que se Summer não tomasse os dois próximos comprimidos, o bebê poderia nascer com sérios problemas (malformações).

No dia seguinte, o arrependimento e a dor se tornaram ainda mais fortes para Summer. Ela começou a sentir cólicas e dores agudas. Ela não queria tomar a segunda pílula. Jason estava tão perturbado que chegou a pensar em suicídio.

“Nós clamamos a Deus por perdão e cura”, disse Summer. “Pedimos a Ele uma segunda chance, se poderíamos fazer com que tudo voltasse atrás”.

Jason descobriu uma conselheira on-line que falava sobre abortos e a procurou apenas para conversar. Mas quando ele contou sua história, ela disse que ainda havia esperança. A conselheira destacou que não era tarde demais porque Summer não tinha tomado a segunda pílula. Eles poderiam salvar seu bebê. Ela deu-lhes o nome de uma mulher que poderia levá-los um médico que poderia realizar uma reversão do aborto. O casal ficou emocionado.

Conseguindo chegar ao médico que que faria a reversão do aborto, Summer recebeu uma dosse de progesterona e tomaria as próximas doses em casa. No entanto, a dor era muito intensa, então o médico deu-lhe uma dose dupla de pílulas de progesterona e disse-lhe para tomar vitaminas pré-natais. Às nove semanas, o casal foi encaminhado para um centro local de gravidez para fazer uma ultrassonografia gratuita.

“Quando o médico que fazia o ultrassom encontrou o que estava procurando, ele gritou: ‘Seu bebê está vivo! Consegue ver os batimentos cardíacos?! Deus deve estar sussurrando ao seu bebê para ele se mover, porque nunca vimos um bebê de 9 semanas de idade tão ativo! Jason e eu imediatamente explodimos em lágrimas de alegria e alívio”, contou Summer.

Segundo os médicos, o bebê deveria nascer no próximo natal.

O pai de Summer estava inicialmente zangado com a gravidez, mas logo se aproximou do casal e os apoiou. Ele disse a Summer que estava feliz por ela ter escolhido não abortar.

Pouco depois de contar aos seus pais, Jason e Summer ficaram noivos. Pouco tempo depois, o casal descobriu que teriam uma menina e lhe deram o nome de Finley.

A pequena Finley nasceu no dia 5 de janeiro, completamente saudável. O bebê não simplemsmente trouxe mais alegria, mas também foi importante para a reconciliação da família.

“Desde que a Finley nasceu, meu pai e eu estamos mais perto do que nunca”, disse Summer. “Ele e Jason estão finalmente desenvolvendo uma amizade. Todo mundo está tão feliz e louco de amor pela nossa filha. Ela mudou todas as nossas vidas para melhor, e seremos para sempre gratos”.

A reversão do aborto é possível para as mulheres que tomaram a primeira dose da pílula abortiva. Médicos já salvaram mais de 175 bebês com o prcedimento de reversão do aborto.
(Guiame)