Goleiro Bruno consegue habeas corpus no STF e deve sair da cadeia

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu,  na noite dessa quinta-feira, um habeas corpus que permite a saída do goleiro Bruno Fernandes da prisão. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do STF na manhã desta sexta-feira.

O ministro deferiu o habeas corpus número 139612, que permite que Bruno recorra de sua condenação pelo sequestro, morte e ocultação do cadáver da modelo Eliza Samudio em liberdade. Segundo a assessoria do STF, Marco Aurélio argumentou que o recurso já estava há três anos sem apreciação e, portanto, deu a Bruno o direito de continuar esperando essa análise solto.

Ainda segundo a assessoria, o documento é válido apenas se ele não estiver preso por outros crimes que não tenham relação com o caso Eliza Samúdio. Os trâmites de análise do alvará e liberação do goleiro cabem à Vara de Execuções Penais de Santa Luzia, já que Bruno está preso na Associação de Proteção e Assitência ao Condenado (Apac) da cidade da Grande BH.

O advogado Lúcio Adolfo, que representa Bruno, disse que já está na Apac aguardando a liberação do cliente. “A expectativa é que ele seja liberado por volta do meio dia”, diz o defensor.

Relembre o Caso Bruno

Exatamente 969 dias depois da primeira notícia sobre o desaparecimento de Eliza Silva Samudio, o goleiro Bruno foi condenado. Com base na decisão de sete jurados, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues determinou no Fórum de Contagem, na Grande BH, que Bruno Fernandes das Dores de Souza fique preso por 22 anos e três meses, 17 anos e seis meses deste tempo em regime fechado. Ele foi considerado culpado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, além de sequestro e cárcere privado. Já Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, sua ex-mulher, foi absolvida por 4 votos a 3 pelo cárcere e sequestro do bebê.

Em 26 de junho de 2010, o goleiro Bruno, capitão do Flamengo e ídolo da maior torcida do Brasil e pretendido por clubes internacionais, como o Milan, da Itália, começou a ser investigado pelo sumiço e suposta morte da ex-amante, a modelo Eliza Samudio, de 25 anos, com quem teve um filho, Bruninho, também desaparecido. No mesmo dia a criança foi localizada no Bairro Liberdade, em Belo Horizonte, depois de a polícia descobrir que ela estava sob os cuidados da ex-mulher do atleta, Dayanne Rodrigues, que passou mais de 12 horas presa, até que um alvará de soltura a tirou da Delegacia de Contagem.

Juntamento com o goleiro Bruno também foram condenados Luis Henrique Romão – o ‘Macarrão’ -, amigo de Bruno e que possuía ligações com o tráfico de drogas em Ribeirão das Neves, na Grande BH; Marcos Aparecido dos Santos – o Bola, policial civil exonerado por indisciplina e idoneidade moral; e Fernanda Gomes de Castro, ex-mulher do goleiro Bruno.

Marcos Aparecido dos Santos foi apontado como executor de Eliza Samúdio e responsável pela ocultação do cadáver dela, o ex-policial civil foi condenado em 22 anos pela morte da ex-namorada de Bruno.

Ex-goleiro Bruno teria se convertido evangélico e estaria participando dos cultos na prisão

O goleiro Bruno, preso por envolvimento no sequestro e morte de Eliza Samúdio estaria participando de cultos evangélicos na prisão.

De acordo com o advogado do ex-goleiro do Flamengo, Francisco Simin, Bruno tem trabalhado na faxina do presídio e a participação nos cultos evangélicos “tem mexido com a parte sentimental dele”.

De acordo com o site SRZD, o advogado menciona a atitude de reconhecer a paternidade do filho de Eliza Samúdio como mudança de comportamento e afirma que a decisão de Bruno evidencia a preocupação de assegurar direitos à criança.

Bruno já havia afirmado ser evangélico durante a fase de investigações iniciais do crime que culminou com a morte da ex-amante do goleiro. Na ocasião, Bruno foi questionado por uma policial sobre sua religião: “Sou evangélico”, afirmou. Perguntado sobre um versículo da Bíblia e um cântico de louvor, Bruno não soube responder e ouviu da policial que ele era um “evangélico desviado”.

Logo que o jogador foi preso, o pastor Jorge Linhares, da Igreja Batista Getsemani afirmou que recebeu um pedido de Bruno para visitá-lo na prisão. Linhares afirmou que por muito tempo, enquanto o goleiro frequentava a igreja, tentou convencê-lo de se batizar, porém o jogador se recusava. “Não pense que eu vou abandoná-lo. Assim que eu for autorizado eu vou lá, sabe por quê? Deus odeia o pecado, mas ama o pecador”, afirmou Linhares à época.

Um pastor que visitou Bruno na prisão e realizou uma oração a seu lado foi Marcos Pereira, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias. Nessa ocasião, participaram do culto diversos outros detentos e alguns ministros de louvor da denominação, incluindo Tonzão, ex-funkeiro dos Hawaianos, que dançou o “passinho do abençoado” no presídio.

(Estado de Minas)

Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo