O “Dia da Mentira” é fulminado pelas verdades da Palavra de Deus

Para o mundo, pode até existir um dia em que mentiras e enganações sejam “permitidas”, contudo, para Deus, a Palavra é Eterna

Nos Estados Unidos é muito comum, durante o Halloween, conhecido como “Dia das Bruxas” (30 de outubro), as pessoas enfeitarem as casas com temas tenebrosos.

Entretanto, em 2013, a “brincadeira” de um garoto de 16 anos, Jordan Morlan, teve um final trágico.

O jovem gostava muito desse período e sempre tinha o costume de assustar as pessoas, principalmente a sua irmã mais nova.

Jordan teve a ideia de amarrar uma corda em uma árvore de sua casa e fingir ter se enforcado. A irmã do garoto, vendo-o pendurado na árvore sem se mexer, assustada, correu para avisar a mãe.

A mãe, já acostumada com as brincadeiras do filho, não se importou muito naquele momento, mas foi verificar do que se tratava. Ela levou um susto, porque Jordan realmente estava morrendo. O atendimento médico foi chamado, contudo, o jovem não resistiu e faleceu.

Mas por que citamos esse caso?

Porque, aparentemente, uma “brincadeira” ou uma “mentirinha” pode ter um tom inofensivo, à primeira vista. Entretanto, como no caso de Jordan, muitas delas tornam-se problemas.

Assim como as brincadeiras do Halloween, o dia 1º de abril também é marcado por mentiras ou pegadinhas, às vezes de mau gosto.

A origem da tradição de 1º de abril

No mundo todo, o dia 1º de abril é considerado o “Dia da Mentira”. Muitas pessoas no trabalho, em casa ou com os amigos, fazem “brincadeiras” ou inventam histórias para enganar os demais.

A origem dessa tradição possui muitas versões, mas a mais aceita é a de que, no século 16, na França, o Ano Novo era comemorado no dia 25 de março (início da primavera). E nessa época ocorriam festas até por volta do dia 31. Portanto, na prática, o ano começava apenas no dia 1º de abril. Porém, o rei decidiu seguir um novo calendário, que iniciava o ano no dia 1º de janeiro.

Muitas pessoas não aceitaram a mudança ou a ignoraram e continuaram com as festividades. Com isso, elas eram convidadas, como motivo de “brincadeira”, a participar de festas que não existiam e, por isso, passaram a ser apelidadas de “bobos de abril”.

A Palavra de Deus é enganosa?

Se observamos o que a Bíblia diz sobre Deus e a Sua Palavra, vemos que Ele é íntegro e fiel ao que Ele promete. Na Bíblia, encontramos os exemplos:

“Passará o céu e a terra, mas as Minhas palavras não hão de passar.” Lucas 21.33

“Porque Eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.” Malaquias 3.6

“Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.” Hebreus 3.8

Ou seja, ainda que o Fim dos Tempos chegue e o mundo termine, as promessas dEle serão cumpridas.

Para o mundo, pode até existir um dia em que mentiras e enganações sejam “permitidas”, contudo, para Deus, a Palavra é Eterna. (Universal)