17 mil candidatos pedem o cancelamento da prova de soldado da PM; comissão vai ao MPE

Por se sentirem prejudicados com falhas no certame, concurseiros vão acionar Ministério Público

Da Redação

Por se sentirem prejudicados com falhas no certame, concurseiros vão acionar Ministério Público

Os gabaritos oficiais da primeira fase do concurso da Polícia Militar do Tocantins foram divulgados na manhã desta segunda-feira, 12, pela AOCP, realizadora do certame. As provas foram realizadas no último domingo, 11, em 17 municípios e tiveram abstenção de 18% dos candidatos às vagas de oficial e de 16% às vagas de soldado.

No total, as provas tiveram 60 questões, somando 100 pontos. Os gabaritos ainda podem sofrer alterações em função dos recursos dos candidatos, que têm dois dias para recorrer das respostas das questões. Confira aqui o gabarito das provas para o cargo de cadete e o gabarito para o cargo de soldado.

Porém o concurso público foi marcado por muita confusão e muitas reclamações por parte dos concurseiros, e em pouco tempo eles se reuniram em diversos grupos de WhatsApp, e começaram a publicar relatos de possíveis indícios de fraudes.

Eles também iniciaram uma petição pública pedindo a anulação da prova de soldado da PM, e até o momento mais de 17 mil pessoas já haviam assinado.

Confira a petição neste link:

  1. DOS FATOS

O autor prestou o Concurso Público Nº 001/CFSD-2018/PMTO para provimento de vagas efetivas no cargo de Soldado da Polícia Militar do Estado do Tocantins. Obedecendo a todos os critérios elencados no edital do certame, realizou uma prova objetiva, composta por 60 questões (sessenta) com valores variados para cada questão, aplicados em data de 11/03/2018. Quando da divulgação do gabarito preliminar o Autor no prazo legal, interpôs recursos administrativos junto à AOCP . Quando da correção do gabarito preliminar, o autor percebeu que a banca não entregara a prova conforme o edital. Ocorre que o edital previa Cinco questões de informática e Dez de atualidades e conhecimentos regionais, no entanto, a questão de número 32, no caderno de prova número 1, no bloco de atualidades trazia o seguinte enunciado: ( Os modos de armazenamento de arquivos e uso de computador mudaram muito nos últimos Dez anos. Hoje existem disponíveis diversos serviços de nuvens computacionais. Assinale a alternativa que explica o que é a computação em nuvem) , para referida questão o gabarito preliminar indica como resposta a alternativa ( C ) que por sua vez, afirma : ( É o armazenamento de dados e softwares em computadores remotos, utilizando conexão de internet, diminuindo, assim, a necessidade de armazenamento local.

Ora, Excelência! Isso é informática e está previsto no item xxx do edital. Trata-se de conceituação pura de um novo tipo de armazenamento. Assim temos 6 questões de informática e apenas 9 de atualidades.

2. Também foi verificado na prova a desobediência à Portaria Interministerial n. 4.226, 31/12/2010 que estabelece no anexo 1 , parágrafo 13 , a obrigatoriedade de inclusão de conteúdos relativos a direitos humanos em processo seletivo para ingresso nas instituições de segurança pública.

3. Ocorrência de violação que se passou em Arraias – TO, no campus da Universidade Federal do Tocantins, onde uma turma se negou a fazer o certame em virtude de rasgo em um dos envelopes. No qual tem os seguintes fatos:

Relatório Policial foi acionado pelos solicitantes para comparecer ao campus da UFT sala 15, informando da negativa da turma da citada sala em fazer a prova do concurso CFSD-2018 em virtude de um rasgo em um dos envelopes de provas. Que o solicitante lacrou o referido envelope na presença do Comandante e Sub Comandante da 1ª CIPM e outras três (03) testemunhas entre os candidatos da sala 15. Estes mesmos candidatos permaneceram até o fim do certame para testemunharem o fechamento do malote com todas as provas concluídas para remessa à empresa organizadora do concurso. Nenhuma das provas do referido envelope foi utilizada, sendo disponibilizado aos candidatos pelo solicitante um novo envelope de provas lacrado.

Que o lacre do malote 7300048 somente foi rompido na presença das três (03) testemunhas voluntárias entre os próprios candidatos do concurso.

4. Localização de um aparelho celular dentro de um banheiro de uma escola onde aconteceu a aplicação do certame da PMTO ocorrência largamente noticiada pela mídia que no relatório policial e noticiado que o celular teria supostos gabaritos de duas provas do concurso público, o aparelho estava escondido dentro de uma sacola no cesto de lixo do banheiro masculino.

5. Gabaritos do concurso em questão, foi fotografado tendo as evidencias anexadas junto a petição, o edital 001/ CFSD-2018/PMTO da proibição de uso de meios de consulta, algo que fica evidenciado pelas fotos a falta de segurança na realização do certame, entre via não a dúvidas sobre a quebra de informações, tendo que ser providenciado a anulação do certame.

2. Dos Pedidos

Apuração dos fatos junto ao Ministério Público do Tocantins, se comprovado os fatos mencionados, anulação do certame, seguindo conformidades com a Lei 12.550/2011, apuração através de procedimento administrativo.

Segundo o senhor Samuel Alves da Silva, que é um dos líderes do movimento, amanhã às 14 horas uma comissão de pessoas que fizeram a prova irá até a sede do Ministério Público Estadual do Tocantins e pedirá a anulação da prova de soldado.

De acordo com Samuel o pedido se faz necessário pela circunstância ora relatas durantes a realização da prova, no qual foram relatas forte indício de fraude, tendo como fato os locais de prova de Arraias e Araguaína no qual foram encontrados celular no banheiro e em Arraias malote estava aberto.

“Iremos ao MPE com o propósito de leva ao conhecimento os fatos e solicitação para apurações, comprovado fraudes cancelamento do concurso”.

O candidato também relatou que gabaritos saíram dos locais de provas sem autorização, e enviou ao Gospel Geral uma cópia de um deles:

Os candidatos também estão divulgando no  whatsapp um áudio de uma suposta professora do cursinho preparatório Matriz, e nele a mestre orienta os candidatos a procurar o MPE.

Tags
Comentários