Justiça condena Marisa Lobo a pagar R$ 30 mil após denunciar aceitação da pedofilia

A Cristã, psicóloga, palestrante e especialista em Direitos Humanos, Marisa Lobo foi condenada a pagar uma indenização de R$ 30 mil – R$ 15 mil mais juros de publicação – após publicar um vídeo em suas redes sociais, com uma denúncia contra a aceitação social da pedofilia. Segundo ela, o material continha um discurso que defende os pedófilos.

Segundo a decisão judicial, Marisa “teceu comentários ofensivos à reputação” da pessoa que aparecia no “contexto do vídeo
sobre pedofilia”.

A notícia de sua condenação foi confirmada pela própria psicóloga em seu perfil oficial do Facebook, com um post no qual ela explicou que não pode entrar em detalhes sobre o processo, porque este ainda está em segredo de justiça.

“Fui condenada por denunciar discursos que, em minha opinião, favorecem a aceitação social da pedofilia. O Juiz entendeu que que defender o pedofilo não é apologia à pedofilia. Respeito a justiça, embora não concorde e precise pagar essa condenação”, declarou.

“Não podemos aceitar sermos amordaçados dessa maneira. Percebam que os valores estão destorcidos. Eu não o ofendi, apenas me indignei com discursos que não ajudam em nada o combate à violência contra a criança, muito pelo contrário. Mas se o entendimento do Juiz foi esse, vou cumprir. Porém jamais vou aceitar, nem ficar calada quanto a esse assunto. Que Deus nos proteja”, acrescentou.

Procurada pela equipe do Portal Guiame, Marisa falou com exclusividade e reforçou que sua crítica não era um ataque particular à pessoa que falava no vídeo, mas sim ao tipo de discurso que a fala dele representava naquelas imagens.

“Era um vídeo que apresentava um discurso no qual argumenta que o pedófilo não é um abusador sexual, dizendo que o pedófilo é uma pessoa que ‘ama crianças’ e que ‘se houver consentimento da criança para esse relacionamento, o ato não configura crime’. Então o problema é com os desdobramentos desse tipo de discurso que ‘pedofilia não é crime”, explicou.

Marisa explicou que sua denúncia foi feita em um contexto alarmante, no qual os índices de abuso sexual infantil são altos no Brasil.

“Em um momento no qual o Brasil está quarto lugar no ranking mundial de consumo de pedofilia pela internet, consumo de fotos, em que as fotos são vendidas a R$ 100 cada foto e R$ 1.000 cada vídeo… em que quanto mais nova for a criança, mais caro é o vídeo, esse consumo vergonhoso existe, porque existem pessoas assistindo a isso pela internet, comprando essas fotos e essas pessoas podem não estar literalmente tendo relações sexuais com as crianças, mas estão estimulando esse tráfico que leva ao abuso de crianças”, alertou.

“Eu critiquei esse discurso de que pedofilia não é crime, porque agora a Organização Mundial de Saúde colocou a pedofilia como uma ‘orientação sexual’ e com isso nós estamos vendo uma confusão gigante e assim, essa prática deixa de ser crime, igualada a todas as outras orientações sexuais”, continuou.

Ajuda

Marisa Lobo não tem mais como recorrer da decisão judicial e realmente terá que pagar o valor total de R$ 30 mil. Por isso lançou uma campanha em um site de ‘vaquinhas online’, no qual pede a colaboração daqueles que queiram apoiá-la, doando qualquer quantia para ajudá-la a pagar este alto valor.

Para saber mais sobre como contribuir, basta acessar: vakinha.com.br/vaquinha/marisa-lobo.

Com informações : Guia-me