Vice-prefeita Cíntia Ribeiro e autoridades ressaltam importância de preservação da água

Georgethe Pinheiro

Uma celebração à altura da importância do tema. Assim foi a abertura oficial da Semana da Água 2018, que aconteceu na manhã desta sexta-feira, 23, na Tenda da Sustentabilidade armada no estacionamento em frente à Prefeitura, na Avenida JK.

Após a apresentação do Coral da Escola Padre Josimo, a vice-prefeita, Cíntia Ribeiro, que prestigiou a celebração, ressaltou que a comemoração do Dia da Água é de suma importância para lembrar a comunidade que este recurso é essencial à vida. “Embora nosso planeta seja formado por dois terços de água, somente uma pequena parcela é propícia ao consumo humano. Parabenizo o secretário Marcílio, que já assumiu a secretaria fazendo a diferença em nos proporcionar este evento. É fundamental trazer este debate para o público”, disse.

Marcílio Ávila, presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, falou sobre a relevância de não se poluir a água. Ele disse que para isso bastam medidas simples, como evitar o despejo do óleo de cozinha usado em frituras diretamente no ralo da pia, e apresentou um utensílio que permitirá o recolhimento do óleo sem sujeira no local, a ser distribuído entre bares, restaurantes e outros geradores do resíduo da Capital. “Precisamos do envolvimento da população nos programas de recolhimento de material reciclável que a Prefeitura tem implantado. Todos os cidadãos podem, cada um, fazer a sua parte”, lembrou o secretário.

Também prestigiaram o evento os secretários de Desenvolvimento Urbano Roberto Petrucci, de Segurança Major Leonardo, da Casa Civil Evercino Moura e da Juventude Nahylton Alen, além da secretária-executiva de Educação, Germana Pires.

Preservação e recomposição

O visitante da tenda da sustentabilidade tem a oportunidade de conhecer as sementes de algumas espécies produzidas pelo Viveiro Municipal e suas principais características. Estas sementes estão expostas na sementeca. Lá também estão todos os materiais utilizados na produção do substrato utilizado para formar as mudas, que podem ser observadas em várias fases de desenvolvimento até chegar ao ponto de plantio.

Essencial à manutenção das reservas subterrâneas de água, o reflorestamento é a premissa da atividade do Viveiro, que também é palco de eventos referentes à educação ambiental com estudantes. No local é possível que o visitante troque o óleo usado que tem em casa por mudas de espécies nativas e frutíferas.

Implementado pela Secretaria de Juventude, o Palmas que te Acolhe trabalha com pessoas em situação de vulnerabilidade social. O projeto utiliza o óleo recolhido pelo programa Renova Palmas, criado pela FMA para evitar o despejo diretamente no ralo da pia, causando sérios problemas de poluição. Oficinas abertas ao público demonstram na prática o trabalho que dá destinação ambientalmente correta ao óleo e ainda gera renda aos participantes do programa.