VÍDEO: Eli Borges critica veto de Amastha em desfavor das igrejas em Palmas

Da Redação

O prefeito Carlos Amashta (PSB) renunciou ao cargo na manhã desta terça-feira (3) após cinco anos e três meses de mandato. Durante uma sessão especial da Câmara de Vereadores, no Espaço Cultural de Palmas, a chefia da cidade foi transferida para a vice-prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB).

Porém um dos seus últimos atos foi o veto sobre uma a emenda ao Projeto de Lei Complementar nº 400, de 2018, que trata do Plano Diretor de Palmas, que desobrigaria os templos religiosos de realizarem Estudo de Impacto de Vizinhança.

Após este ato alguns parlamentares criticaram a posição do ex-prefeito e candidato agora ao governo do Tocantins e um deles foi o deputado estadual e evangélico Eli Borges, que na manhã de hoje dia 4 publicou um vídeo em sua página do facebook falando sobre o veto de Carlos Amastha.

Assista:

https://www.facebook.com/deputadoeliborges/videos/1603852706397468/

 

O parlamentar também publicou uma nota sobre o caso:

Diante disto, Eli Borges lamenta a decisão de Amastha e espera que a nova prefeita da capital, Cinthia Ribeiro (PSDB), derrube o veto e atue em defesa das igrejas.

“Acredito que outra vez triunfaremos, e acredito que a prefeita Cinthia Ribeiro cooperará retirando o veto, ou os vereadores derrubando-o”, disse.

Durante três mandatos de Vereador e com ajuda de Deus e outros parlamentares e líderes religiosos, impedimos que fosse colocado no plano Diretor à necessidade de qualquer igreja ao ser construída ter que obter a autorização dos vizinhos (AIV – Autorização de Impacto da Vizinhança).

Neste tempo também foram muito fortes as tentativas de inserir nas leis municipais o controle do uso de som.

Estes fatos poderiam impedir a construção de templos, reformas e ou ampliações e em outros casos provocaria custos como: Projeto de acústica, pagamento de engenheiro de som, etc.

Mesmo já sendo Deputado fiz várias intervenções em Palmas e em outros municípios para impedir que esses males não prosperassem, relembrando, inclusive que além da preservação das áreas de culto já existente, propus a lei que permitisse o uso de áreas comerciais.

Foi votado o novo Plano Diretor de Palmas e o problema se refez, lamentavelmente até por estar na condição de Deputado e não fazer parte da rotina da Câmara soube da gravidade e do jogo da gestão com relação a esta matéria, a nível de sanção e veto, o mesmo jogo da ideologia de gênero.

Vários vereadores em todas as etapas do projeto foram firmes. Respeito profundamente quando entendem que a igreja precisa de cumprir a sua missão e deixo claro que ciente desta labuta cumprirei como das outras vezes o meu papel, me somando a eles e outros líderes para manter a preciosa liberdade de culto, os nominarei oportunamente.

Acredito que outra vez triunfaremos, e acredito que a prefeita Cinthia cooperará retirando o veto, ou os vereadores derrubando-o.

Na parte que me compete não serei omisso. O povo de Deus precisa continuar sua trajetória e se perpetuar em Palmas e no Tocantins.

Eli Borges
Deputado Estadual