Pastor da Ciadseta dá “adeus” a Carlos Amastha: “Palmas e o Tocantins não sentirão saudades”

Pastor Jededias Lima é presidente da Assembleia de Deus Ciadseta em Novo Acordo. Foto: Reprodução

Após ter sua candidatura ao governo do estado na eleição suplementar negada na tarde desta terça-feira (15) pelo Tribunal Regional Eleitoral, Carlos Amastha (PSB) recebeu apoio de seus coligados, mas também muitas mensagens de seus críticos. Para os juízes, o político não se enquadra no prazo de desincompatibilização de cargos públicos determinado pela Constituição Federal.

Pastor “se despede”

Um dos que mandaram uma mensagem ao ex-prefeito de Palmas foi o pastor da convenção Ciadseta, Jededias Lima, atual líder da igreja Assembleia de Deus Ciadseta na cidade de Novo Acordo (TO).

Jededias publicou um texto nas redes sociais denominado “um adeus” em referência ao indeferimento da candidatura de Amastha na tarde desta terça-feira pelo TRE-TO.

Eu disse logo esse aí vai cair logo do cavalo.. E agora Amastha, você está sendo impugnado barrado e vai ter que ir para um grupo desses que aí está mas que pouco se difere do seu grupo porque são todos iguais” diz parte do texto.

Para o líder assembleiano, Amastha não representaria a tão chamada “nova política” que ele mesmo tanto fala, por isso seu descontentamento com o pessebista que governou a cidade de Palmas durante quase seis anos.

Jededias relembrou também que o ex-prefeito errou feio com o povo evangélico da capital o sair do cargo para concorrer ao executivo estadual. “Amastha você deu a sua última canetada como prefeito, desferindo um duro golpe no povo evangélico dessa capital e logo o povo que é chamado de “O POVO DE DEUS” Amastha, aquele povo que você tentou comprar com suas grandes festas de carnaval“.

Confira o texto na íntegra:

Um adeus.. “segue texto”
É Amastha você caiu e caiu feio hoje no meu conceito e pelo menos de uns 80% da população no mínimo… você que se dizia ser o novo foi pro palanque exigir o Lula livre um condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio.. pois é.. quando Eu vi isso Eu quase não acreditei, mas era você Amastha, você estava lá… e no seu primeiro discurso de campanha; você lembra ?Amastha você vacilou feio ao dizer que seu partido o PSB era mais de ESQUERDA do que o PT você não só se entregou mas entregou outros seus companheiros.. Aquilo ali foi o cúmulo do absurdo Amastha, foi constrangedor eu fiquei envergonhado daqui.. vi tantas piruetas suas tentativas de iludir o povo com o jeito de um mocinho cowboy.. Eu disse logo esse aí vai cair logo do cavalo.. E agora Amastha, você está sendo impugnado barrado e vai ter que ir para um grupo desses que aí está mas que pouco se difere do seu grupo porque são todos iguais.. mas a verdade é que agora se cumpre pra você o que é bíblicamente correto quando diz que, “TUDO TEM O SEU TEMPO” não é nada bom fazer o quê você fez quando deixou a prefeitura para embarcar nessa louca aventura, você achava mesmo que ia enganar o pobre povo tocantinense? POIS É Amastha não deu pra você é sabe porque não deu? Vou lhe explicar, olha Amastha você deu a sua última canetada como prefeito, desferindo um duro golpe no povo evangélico dessa capital e logo o povo que é chamado de “O POVO DE DEUS” Amastha, aquele povo que você tentou comprar com suas grandes festas de carnaval.. (Foi um golpe baixo meu amigo) agora meu amigo não dá mais pra você.. agora é hora de uma profunda reflexão, e de quem sabe rever seus conceitos e valores e tentar evitar cometer tantos erros já cometidos e o pior deles foi em se revelar quem realmente tu és… adeus Amastha vai com Deus e estou certo de que Palmas e o Tocantins não sentirá saudades suas.. isso lhe garanto.. vai com Deus!!!
E..
Dê recomendações nossa ao povo da Colômbia.
Sem ressentimento.
adeus.

De: Pastor JEDEDIAS 16-05-2018
Um cidadão tocantinense.

Amastha vai recorrer

Amastha ficou na Prefeitura de Palmas até 3 de abril de 2018. Porém, a lei determina que para concorrer a outros cargos eletivos seria necessário renunciar pelo menos seis meses antes da votação. A eleição está marcada 3 de junho.

Os juízes discordaram sobre a desincompatibilização por se tratar de uma eleição suplementar após a cassação de Marcelo Miranda. Mas o TRE negou o registro de candidatura por 5 votos a 1.

Amastha pode recorrer da decisão e o caso ainda deverá ser analisado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por meio de uma rede social, Amastha afirmou que vai correr para se manifestar no Tribunal Superior Eleitoral. “Não existe nenhuma jurisprudência que impeça nossa candidatura. Eleição Suplementar, regras sem definir. Sabíamos que iria para Brasília de qualquer forma.”

Tags
Comentários
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com