Lideranças de sete Bairros de Palmas declaram apoio ao pré-candidato Sargento Moreira

Da Redação

 

Na noite desta terça-feira dia (12), lideranças dos bairros sonho meu, são Francisco, cardeal, Jaú, mirante e Village Park, todo situados na região norte de Palmas, estiveram reunidos com o pré-candidato a deputado estadual sargento Moreira.

Assista:

 

 

A reunião foi em frente ao “comercial do Negão” no setor São Francisco, e na oportunidade, os líderes da associação de moradores puderam ouvir as propostas do militar e expuseram suas demandas; uma das principais reivindicações foi sobre a falta de iluminação pública, e segurança na região.

 

Para o presidente da associação de moradores dos 7 bairros da região norte de Palmas, Delmar Sousa conhecido como “Negão”, essa região é carente de limpeza, roçagem, cascalhamento e patrolamento; “no pleito passado apoiamos um candidato que nos abandonou, mas hoje vemos na pessoa do pré-candidato sargento Moreira um homem honesto e honrado”; pontuou.

Ainda sem partido o pré-candidato falou sobre o cenário das eleições em 2018, e a importância dos moradores de Palmas na construção de uma nova política estadual.

“Conheço o sofrimento destes moradores e estes bairros merecem a mesma atenção que é dada aos bairros com maior número de habitante na capital. Devido ser um setor de chácaras, temos visto certo abandono com aquela comunidade, mas vou lutar para mudar esta realidade”, afirmou o pré-candidato.

No final do ano passado foi realizado uma enquete, onde 2.986 pessoas demonstraram suas intenções de votos para os possíveis candidatos Militares a Deputados Estaduais, para a eleições de 2018, e nela o nome do sargento Moreira ficou em primeiro lugar.

Perfil do pré-candidato

Ismael Freitas Moreira, nasceu em (Goiatins, 8 de abril de 1969), conhecido como Sargento Moreira, filho de Deocleciano Moreira Lima e Aldenir Freitas Moreira. Ingressou na polícia Militar do Estado do Tocantins (26, de julho de 1990), fez o curso de CFSD na cidade de Arrais, veio para Palmas em Abril, de 1991, desde então trabalhou no 1º BPM, foi soldado por 19 anos e 10 meses; foi um dos líderes do movimento grevista que em 2001, aquartelou 450 policiais militares no Primeiro Batalhão de polícia do Tocantins, o objetivo era reivindicam 47% de aumento salarial e melhores condições de trabalho. Teve prisão decretada por 11 dias, e ao se apresentar ao juiz teve o relaxamento da prisão decretada.

Foi submetido ao Conselho de Disciplina da PMTO, onde foi absolvido, porém mesmo assim foi optado pela exclusão do militar.

Foi um dos 18 PMs exonerados, onde ficou fora das fileiras da Polícia por 2 anos e 8 meses, retornando após a lei de anistia do Estado do Tocantins, e posteriormente do Governo Federal através da lei número 12.848, de 2 de agosto, de 2013.

Após a anistia, foi incorporado ao Corpo de Bombeiros Militares do Tocantins, onde permaneceu por 2 anos, Mas, por uma falha na lei, o militar retornou as fileiras da PMTO, e desde então trabalha no 1º BPM.

 

 

 

 

 

 

 

 

Tags
Comentários