Tocantins escolhe novo governador neste domingo; voto evangélico deve fazer diferença

Os moradores do Tocantins vão escolher um novo governador neste domingo (3). Mais de um milhão de eleitores são esperados nas urnas para votar e escolher qual dos sete candidatos na disputa vai comandar o Palácio Araguaia até o fim do ano.

A segurança da eleição será feita por 1.290 policiais militares e também por equipes do Exército nas aldeias indígenas em cinco cidades. O número de soldados não foi informado pelo 22º Batalhão de Infantaria, responsável pela operação.

Os eleitores vão comparecer a 4.109 sessões eleitorais. 297 delas são adaptadas para a acessibilidade de pessoas com dificuldade de locomoção. O atendimento aos cidadão será feito por 14,205 voluntários e por 873 funcionários do Tribunal Regional Eleitoral.

O TRE trabalha com a meta de entregar o resultado em até cinco horas após o fechamento das urnas, mas nas últimas eleições os votos têm sido computados mais rápidamente graças ao sistema eletrônico usado pela Justiça Eleitoral.

Voto evangélico e seu peso

Os candidatos ao Palácio Araguaia sabem, e não desprezam esse dado, que o voto do segmento evangélico é muito importante para quem almeja chegar ao comando do executivo tocantinense. O Tocantins tem um número expressivo de evangélicos entre seus habitantes, cerca de 350 mil, e sua capital, Palmas, fica em segundo lugar no ranking entre as capitais mais evangélicas do país (32,7%, cerca de 68.189 mil pessoas), perdendo somente para São Paulo que tem 2,3 milhões.

Em posse desses números e do peso que o voto evangélico tem, os candidatos buscaram nos últimos dias fortalecer suas representatividades diante do segmento por meio de alianças com presidentes de convenções e igrejas em todo estado.

Convenções assembleianas de destaque manifestaram apoio a alguns destes e outras igrejas de vertentes reformadas e também as neopentecostais também marcaram posição apoiando os nomes que assim acharam melhor para o estado.

Porém, o que se sabe nos bastidores é que esse método já não está tão eficiente, pois os membros mostram que estão independentes no quesito escolha do candidato e em somente poucos redutos evangélicos existem líderes que ainda tem o poder de fechar acordos políticos de “porteira fechada“.

A maioria dos evangélicos do Tocantins está atenta aos candidatos e as coligações que esses têm feitos com partidos de ideologias de esquerda, quando não são os próprios lançados por estes.

PT, PV, Rede, PSOL, PCdoB, entre outros, não têm a simpatia do segmento justamente por causa de suas posições diante de pautas progressistas como o aborto, casamento homossexual, liberação das drogas, ideologia de gênero, etc. Com isso, os candidatos que souberam trabalhar bem suas alianças e que têm um histórico de vida política positivo para o segmento quanto as pautas citadas anteriormente podem ter êxito no próximo domingo. Aqueles que fizeram contrário a isso, já saíram atrás na corrida eleitoral pelo voto evangélico.

Espera-se que no próximo domingo o segmento evangélico, por meio do voto, embora sem muitas opções, mostre sua relevância ao dizer “não” aos que julgaram inferior sua capacidade de discernimento político.

“Não votem em PT, PSOL, REDE, PCdoB e PV”, pede Malafaia

Silas Malafaia tempos atrás divulgou um vídeo onde faz um “alerta” aos cristãos, em especial aos evangélicos. O líder da Associação Vitória em Cristo lembrou que alguns partidos mudam completamente de postura antes das eleições e depois voltam a defender suas agendas de sempre.

O líder religioso cita nominalmente o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), a Rede Sustentabilidade (REDE), o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o Partido Verde (PV).

Além de classificá-los como “corruptos”, Malafaia diz que eles querem “destruir a família”. “Esse pessoal esconde a ideologia deles”.

Segundo ele, as “pessoas de bem em geral” deveriam ficar atentas pois há uma tentativa dessas siglas em se desassociar com as pautas defendidas por eles no Congresso, entre elas o aborto, o casamento gay e a ideologia de gênero.

“Não podemos cair na conversa fiada. Eles são bons de bico”, provoca. Em seguida, lança o desafio: “Quero ver eles abrirem a boca para defender o lixo moral que defendem durante os 4 anos”.

O pastor, que já havia feito campanha contra alguns desses partidos em 2014, não tem medo de classificar os membros dessas siglas de “cínicos e covardes”. Insiste ainda que os cristãos, evangélicos em especial, deveriam ficar alertas e votarem lembrando dessas questões.
Assista:
[youtube code=”IZH8EoFJRHk”]

Confira os números da eleição suplementar de domingo

  • Candidatos: 7
  • Eleitores aptos a votar: 1.018.329
  • Urnas: 4.998 (seções e mais contingência)
  • Sessões: 4.109, sendo 297 especiais (com acessibilidade)
  • Voluntários: 14.205
  • Funcionário do TRE: 873
  • Segurança: 1.290 policiais
  • Custo: R$ 15 milhões
  • Indígenas: 4.275 em 25 seções distribuídas nas aldeias da 5ª ZE de Miracema, 9ª ZE de Tocantinópolis, 13ª ZE de Cristalândia, 15ª ZE de Formoso do Araguaia, 23ª ZE de Pedro Afonso, 32ª ZE de Pedro Afonso, 33ª ZE de Itacajá, 34ª ZE de Santa Fé do Araguaia.
  • Encerramento da votação às 17h, quem ainda estiver na fila recebe senha e pode votar.
  • Fim da apuração: meta é concluir em até cinco horas, mas normalmente os votos são computados antes disso.
    • Com informações G1
Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo