Pastor Famoso é preso por prometer cura quem fizesse sexo com ele

Religioso é acusado por 4 fiéis de fingir incorporar anjo Camael e oferecer cura em troca de relação sexual. Ele responde por estupro na Justiça de SP, mas defesa alega que relação foi consensual.

Religioso é acusado por 4 fiéis de fingir incorporar anjo Camael e oferecer cura em troca de relação sexual. Ele responde por estupro na Justiça de SP, mas defesa alega que relação foi consensual.Um pastor evangélico de 31 anos foi preso e se tornou réu no processo no qual é acusado de estuprar quatro adolescentes que frequentavam a sua igreja na Zona Leste de São Paulo.

Segundo a acusação feita pelo Ministério Público (MP), o religioso enganava os fiéis, oferecendo suposta “cura física e espiritual” àqueles que fizessem sexo com ele e o “anjo” que dizia incorporar.

Preso há mais de um mês, Pedro Jorge dos Santos Teixeira, fundador da Igreja Apostólica dos Mistérios de Deus, em São Mateus, nega a acusação e alega ser inocente (veja no vídeo acima e saiba mais abaixo).

Segundo a denúncia da Promotoria, feita a partir da investigação da Polícia Civil, os abusos foram cometidos entre 2014 até agosto deste ano, quando os adolescentes tinham entre 14 a 17 anos. O 49º Distrito Policial (DP), onde o caso foi registrado, apura se há mais vítimas.

Duas meninas e dois meninos acusam Pedro de inventar a história do “anjo” e ainda ameaçá-los de morte para que mantivessem relações sexuais com ele. Contaram que o pastor fingia receber o anjo Camael e prometia uma troca: dizia que a entidade daria crescimento e realizações pessoais a eles se transassem com o apóstolo.

‘Cura’ e sexo
Um dos garotos que fizeram a denuncia gravou vídeo e o encaminhou ao G1 contando que foi abusado pelo líder religioso.

“Ingênuo, fui com total confiança naquele homem e acabei caindo nessa enganação, nessa mentira dele. E os abusos aconteceram durante dois anos, dos meus 14 aos meus 16 anos”, continua o menor, que foi autorizado por sua responsável, a avó, a conversar com a reportagem. A condição era a de que o nome e rosto dele não fossem divulgados, respeitando o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Antes de ir para a cadeia, o pastor também gravou vídeo para rebater as acusações dos adolescentes. A filmagem foi divulgada nas redes sociais.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça (TJ), a juíza Tatiane Moreira Lima, do SANCTVS (Setor de Violência Contra Infante, Idoso, Pessoa com Deficiência e Tráfico Interno de Pessoa), aceitou recentemente a denúncia do MP contra o pastor. A magistrada ainda converteu sua prisão temporária em preventiva para que ele fique detido até seu eventual julgamento.

O pastor está por estupro, estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude. Atualmente ele está detido no Centro de Detenção Provisária (CDP) de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Vítimas
O G1 não encontrou os pais dos demais três adolescentes que acusam Pedro de estupro para comentarem o assunto.

Em depoimentos ao 49º DP, as duas garotas e o outro garoto contaram como teriam sido abusados e porque decidiram se reunir e denunciar o pastor.

Os quatro adolescentes se conheceram na igreja criada por Pedro. E após conversas em grupo, desconfiaram que o tal anjo Camael que o pastor dizia incorporar era apenas um pretexto para que o religioso pudesse abusar sexualmente deles.

Uma menina de 15 anos contou à polícia, por exemplo, que estava querendo namorar o filho adotivo de Pedro, um adolescente de aproximadamente 17 anos. Ela falou que foi pedir consentimento ao pastor, mas ele só autorizou se a adolescente perdesse a virgindade com o anjo.

“Primeiro transou com o pastor para tentar namorar o filho [adotivo]”, informa trecho da declaração da adolescente no boletim de ocorrência sobre o caso.

A garota ainda relatou que foi ameaçada por Pedro quando desistiu de namorar o filho dele e quis por fim aos encontros sexuais com o pastor.

Depois quando não quis mais namorar e conheceu outro rapaz, a menor conta no documento da polícia que passou a transar com o pastor porque este a ameaçou de morte.

“Chamou a adolescente para conhecer o anjo Camel [Camael] na casa dele. Ela namorava”, consta no depoimento de uma garota de 16 anos à polícia. “Ordenou que ela se tornasse a mulher do apóstolo no mundo espiritual”.

Um adolescente de 16 anos contou em seus depoimento que Pedro pediu que ele fosse a casa do pastor e ficasse nu na cama dele e se tocasse.

“Pedro pediu para que o declarante se deitasse na cama, fechasse os olhos e imaginasse uma mulher que tinha desejo, e que iniciasse uma masturbação”, diz o menino.

Defesa
Procurado pelo G1, o advogado Nelson Bernardo da Costa, que defende o pastor, negou as acusações de estupro contra seu cliente. Segundo a defesa, Pedro confirmou que manteve relacionamento apenas com a garota mais nova do grupo, de 15 anos, mesmo assim alegou que os encontros entre os dois tinham o consentimento dela.

“Ele [Pedro] fala que foi vítima de armação por parte de uma moça”, rebate Nelson, que não confirmou se o pastor e a menor mantiveram relações sexuais. “Meu cliente diz que foi relacionamento consensual. Não sei se transaram, mas ele começou a se afastar pela posição dele e idade dela, que é menor”.

Segundo o advogado, após querer por fim ao relacionamento com a adolescente, Pedro passou a ser ameaçado pela menor.

De acordo com Nelson, após os adolescentes acusarem o pastor pelos supostos abusos, Pedro passou a sofrer ameaças dentro da comunidade e, por esse motivo, se viu obrigado a deixar a região do Jardim Iguatemi. “Meu cliente fugiu porque foi ameaçado de morte”.

Polícia e comunidade
A polícia trabalha com a possibilidade de que mais pessoas possam ter sido enganadas e abusadas sexualmente pelo pastor.

“O pastor falava que incorporava o anjo e que ia conseguir melhorar a vida deles se tivessem relações sexuais com esse anjo”, fala Denis a respeito dos menores. “Quando passaram a não acreditar mais no pastor, aconteceram ameaças contra eles.”

A repercussão do caso de estupro envolvendo o religioso dividiu a opinião de moradores do bairro onde Pedro tinha a igreja. Com a prisão do pastor, outra congregação evangélica funciona no local.

“Eu fiquei até surpreso por saber desse caso aí”, conta um homem que se identificou como amigo do pastor, mas pediu para não ter o nome e imagem divulgados. “Mas eu creio que isso tudo deve ser uma mentira”.

No lugar onde funcionava a Igreja Apostólica dos Mistérios de Deus, de Pedro, funciona atualmente a Igreja Pentecostal Templo de Santificação, da pastora Zuleica Maria Bezerra Santos, 56.

“Não achava que ele era capaz de praticar esses atos”, lamenta a pastora Zuleica, que diz conhecer Pedro. “Isso tem de ser apurado para saber quem está falando a verdade e quem não está”.

Anjo
A escritora e espiritualista Monica Buonfiglio, que tem 50 livros publicados sobre anjos, afirmou que o nome correto do anjo citado pelas vítimas é Camael e não Camel, como aparece no boletim de ocorrência.

“O nome do anjo é Camael. Ele está numa das nove categorias angelicais. É o príncipe da alegoria potência que protege animais”, diz Monica.

Segundo ela, Camael não aparece na Bíblia, que só considera três arcanjos: Miguel, Rafael e Gabriel. “Todos os outros anjos, como Camael, não constam na Bíblia cristã. Camael faz parte do Torá [livro que contém as escrituras judaicas] e de uma ramificação que é a Cabala [sistema filosófico-religioso judaico]”.

Monica relata ainda que em seus estudos já ouviu outros casos de vítimas de abuso sexual por parte de líderes religiosos que alegavam incorporar anjos.

FONTE: G1

Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo