Prova do Enem traz questões esquerdistas, patrulha no MEC ainda é forte; confira

Enem 2018: questões do primeiro dia abordaram feminismo, nazismo e ditadura militar

Alunos do sistema de ensino COC fazem simulado do Enem.

Neste domingo, os candidatos realizam as provas de Ciências Humanas, Linguagens e Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No primeiro dia do exame, apareceram tópicos como feminismo, nazismo, escravidão, regime militar, crise de refugiados, entre outros.

Neste ENEM se viu mais uma vez a patrulha da esquerda dentro do MEC.

Especialistas se dividem sobre a acusação de doutrinação nas provas do ENEM, em 2015 o  ex-presidentes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) defendeu que não há intervenção política na seleção das questões para o exame e afirmam que a quantidade de textos de autores ligados à esquerda nada mais é que um reflexo do pensamento da área de Humanas. Porém nos anos seguintes todas as provas trouxeram questões de esquerda e geraram muitas discurssões.

Segundo a candidata Bruna Damasceno, de 19 anos, do Rio de Janeiro, esta foi uma das provas que mais abordaram temáticas envolvendo políticas e questões sociais atuais. Uma delas tratou do feminismo com um recorte de raça, referindo-se especificamente às mulheres negras. Além disso, ela diz que uma questão tratava sobre nazismo.

De acordo com outra candidata, Lorena Santos, foi usado um poema de Graciliano Ramos e um texto sobre publicidade e racismo como base para questões de interpretação de texto. Ela deixou o Colégio Luiz Viana, em Salvador, na Bahia, às 14h40 (15h40 pelo horário de Brasília) e classificou a prova como “muito mais fácil do que a dos três anos anteriores”. Ela está fazendo o Enem pela quarta vez.

— Os textos foram bem mais objetivos do que os das edições anteriores — disse ela.

Uma das questões tratou da censura e da falta de liberdade de expressão características do regime militar (1964-1985).

Em uma questão da prova de inglês foi usado um trecho de um dos clássicos do escritor inglês George Orwell, “1984”. Mais especificamente, o momento no qual o herói da narrativa, Winston, conversa com o colega O’ Brien sobre o controle do partido. A candidata Ana Luísa Siqueira, de 16 anos, treineira, lembra o trecho:

— Winston conversa com O’Brien explicando que o passado não existe fisicamente, mas nos registros e memórias. É que o partido controla o passado, a memória e os registros. Foi esse o trecho usado — diz ela, que considerou a prova de inglês fácil para quem estuda o idioma de forma regular.

Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo