Alunas de Nutrição da UFT apresentam pesquisa sobre a aplicação das Boas Práticas no Festival Gastronômico de Taquaruçu

Malena Mota

Com o objetivo de acompanhar a aplicabilidade das boas práticas de manipulação de alimentos servidos nas barracas e Food Trucks durante a última edição do Festival Gastronômico de Taquaruçu, que aconteceu no mês de setembro, as alunas do curso de nutrição da Universidade Federal do Tocantins, Daniella Pimenta e Myllena Carvalho apresentaram pesquisa de campo na noite dessa segunda-feira, 10.  A apresentação aconteceu no Campus da UFT em Palmas.

Orientadas pela professora Mestre Tatiana Evangelista, as discentes tiveram como metodologia a pesquisa etnográfica, com abordagem qualitativa e quantitativa, por meio da observação não participante, com os 68 participantes do evento, nos dias 05, 07 e 08 de setembro. “Já ministrei três vezes o curso de Boas práticas para os participantes do Festival Gastronômico de Taquaruçu, e sempre tive curiosidade de saber o que acontecia durante o evento, e se realmente o que repassava era aplicado na prática”, contou a professora.

A orientadora conta que, “as duas alunas aceitaram o desafio de fazer a pesquisa de campo, e hoje apresentaram a pesquisa, mostrando o que realmente era aplicado durante o evento, e pudemos fazer a devolutiva para a Agtur, com a finalidade de contribuir para a melhoria do evento”.

Segundo as estudantes as especificidades do estudo era observar as condições de higiene pessoal dos manipuladores de alimentos; conferir as condições de higiene ambiental; saber se houve preocupação em relação à legislação das boas práticas e se houve ações quanto a higiene dos alimentos.

O estudo apontou quanto a higiene ambiental, 91.9% dos estabelecimentos estavam em conformidade em relação ao item sobre “limpeza do local onde era servido o alimento, e com 91,2% no item “local limpo e organizado. “O ambiente onde era servido o alimento estava limpo, não apresentando alimentos e/ou embalagens diretamente no chão e ausência de demais sujidades”, destacou Myllena.

No quesito “higiene dos alimentos”, os participantes obtiveram 93,4% no item sobre armazenamento adequado dos alimentos (produtos) a serem comercializados e 83,1% no item sobre o uso adequado de utensílios para manuseio dos alimentos, e quanto a refrigeração, 90,4% dos produtos estavam em condições adequadas.

Com relação a higiene pessoal dos manipuladores de alimentos, o estudo concluiu que 96, 3 faziam uso do álcool em gel para as mãos, 94,1 não utilizam celulares nos ambientes de manipulação de alimentos e 91,9% estavam com unhas curtas e sem esmaltes, e 74,3 não utilizava qualquer tipo de adornos.

As alunas concluíram que, no geral, a maioria dos empreendedores do evento atende às exigências da legislação das Boas Práticas, no entanto, o Procedimento Operacional Padrão (POP), ainda não foi aplicado. “O uso do POP serve para orientação, a higiene pessoal deve ser constantemente regulada, para garantir a produção adequada dos alimentos”, enfatizou Daniella. Ela também ressaltou que o uso da lixeira com o pedal ainda é um item que deve ser observado nas próximas edições.

Para o presidente da Agtur, Eudes Assis, pesquisas como essas são importantes para a melhoria constante do evento, pois elas apontam a direção que devemos seguir em busca de realizar um evento cada dia melhor, proporcionando um alimento seguro para a população. “Vamos observar as considerações das estudantes para o próximo edital do evento, e queremos mais uma vez a colaboração das estudantes do curso de nutrição para esta próxima edição”, conclui.

 Edição e postagem: Lorena Karlla