FASPRA-TO e AMP-TO realizam visita ao Procurador Geral de Justiça

A FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE PRAÇAS MILITARES DO ESTADO DO TOCANTINS*FASPRA-TO) juntamente com a *ASSOCIAÇÃO DE MULHERES POLICIAS DO ESTADO DO TOCANTINS AMP-TO, estiveram reunidos na tarde desse quinta-feira, 20/12, reunidos com o Procurador Geral de Justiça, Dr José Omar de Almeida Júnior. Representada pelo Presidente em exercício Sargento Everton Cardoso e o Procurador da entidade Dr Benito Querido, e pela representada pela presidente da entidade AMP-TO Giovanna Cavalcante, as entidades estiveram retornando contato com MPE-TO, para relatar diretamente ao Procurador Geral de Justiça casos de tentativa de intimidação que o presidente da ABM-TO Major Marinho, oficial combatente do Corpo de Bombeiros vem sofrendo por ter dado apoio a realização de pesquisa no âmbito dos integrantes do Corpo de Bombeiros sobre aspectos de motivacionais, de estresse e busca de informações de estado emocional dos militares da corporação.

Foram apresentados documentos onde deixam claros a tentativa de interferência dentro da associação conforme ofício 005/2018-IPM 005/2018, que solicita documentos internos da Associação de Bombeiros Militares, como Cópia da Ata da reunião da diretoria administrativa da ABMTO que deliberou sobre a realização da pesquisa. Tão logo a FASPRA-TO tomou conhecimento desse documento, todos os presidentes do conselho da entidade ficaram revoltados e cobraram da diretoria executiva que fossem tomadas medidas legais contra esse abuso de autoridade que o encarregado do IPM, Carlos Alberto Rodrigues da Costa, tentou a contra independência Jurídica da entidade em relação a entidade Corpo de Bombeiros Militares.

O Presidente em exercício da FASPRA-TO Sargento Everton Cardoso, disse que não será tolerado a intervenção por parte do comando do corpo de bombeiros nas atividades das entidades representantes de classe. “Cópia dos procedimentos e notícias vinculadas, além das denuncias serão encaminhadas para ANASPRA (representante de classe nacional) para que possam auxiliar a federação no âmbito nacional”

A FASPRA-TO por intermédio de seu assessor jurídico, juntamente com os advogados da ADPMETO, filiada a FASPRA-TO, da qual o presidente da ABM-TO, também é associado, estiveram acompanhando as oitivas das testemunhas arroladas pelo encarregado do IPM Major QOBM/A Carlos Alberto Rodrigues da Costa realizados na última terça-feira, 18/12,

Para o advogado Dr. Benito Querido, que está acompanhando o caso, esse procedimento é uma ferramenta clara de perseguição e intimidação, tendo sido instaurado somente com o objetivo de amedrontar e prejudicar o Major Marinho. Ademais, o que causa mais estranheza é o fato de ser aberto um IPM para investigar e punir os supostos autores da pesquisa, aonde o correto e lógico seria abrir um procedimento para apurar as reais denuncias de abusos coletadas na mencionada pesquisa. “Como o Comando Geral do Bombeiro não possui autoridade funcional sobre a presidente da AMP-TO ou sobre o Vice-presidente da FASPRA-TO, *que verdadeiramente realizaram a divulgação da pesquisa e seminário, ele decide instaurar procedimento em face do Major do Bombeiros por ser subordinado hierarquicamente a ele”.

A pesquisa foi apresentada e culminou no I Seminário sobre a Saúde Mental dos Profissionais das Forças de Segurança do Estado do Tocantins. O evento, que teve a presença de diversos palestrantes, foi aberto ao público e teve como objetivo debater o assunto e inibir novos casos de assédio dentro das Forças de Segurança do Estado.

A Federação das associações de praças militares do estado do Tocantins deixa claro a toda a sociedade Tocantinense que toda a iniciativa de realização da pesquisa partiu da AMP-TO, QUE A FASPRA-TO apoiou o excelente trabalho desenvolvido em defesa das mulheres polícias desenvolvida por sua presidente *Giovanna Cavalcante8, que a após tabulados os dados da pesquisa pela AMP-TO, Decidiram, em conjunto, realizar a divulgação e I seminário de saúde mental dos profissionais de segurança do estado do Tocantins, pois durante as pesquisas várias denuncias chegaram a conhecimento das entidades.

A FASPRA-TO deixa claro que estará em defesa do presidente da ABMTO com todo apoio institucional e jurídico que a entidade dispõe, bem como estará notificando os órgão competentes de casos que chegarem ao conhecimento da entidade. Bem como está noticiando o Governador do Estado para que possam estar tomando medidas para coibir abusos e desrespeito aos profissionais de segurança pública.

São entidades filiadas à FASPRA-TO:

Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins (APRA-TO)
Associação dos Praças e Servidores Militares do Estado do Tocantins (ASPRA GURUPI)
Associação Independente de Cabos e Soldados e Demais Praças do 7º e 3º BPM (ASSICASOL)
Associação dos Cabos e Soldados de Colinas (ACS COLINAS)
Associação dos Cabos e Soldados do 5º BPM do Estado do Tocantins (ACS PORTO NACIONAL)
Associação dos Militares de Paraíso e Região (ASMIPAR)
Associação dos Militares da Região de Dianópolis (ASMIRD)
Associação dos Praças e Bombeiros Militares de Araguaína (APA)
Associação dos Praças do Bico (ASPRA BICO)
Associação dos Militares de Arraias (AMA)
Associação de Defesa e apoio jurídico aos militares do Tocantins (ADPMETO)
Associação dos Bombeiros Militares do estado do Tocantins (ABM-TO)

Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of