Futura ministra dos Direitos Humanos é alvo de chacotas “Por ver Jesus de cima de um pé de goiaba”

A Futura ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, foi alvo de chacotas na última semana, vários jornais e pessoas famosas ironizaram um vídeo em que a ministra relata sobre os abusos sofridos na infância. Damares conta que subiu em um pé de goiaba e preparava-se para tomar veneno, quando avistou Jesus caminhando em sua direção.

Após a repercussão, alguns famosos se manifestaram em defesa da futura ministra. O comediante e cristão, Jonathan Nemer expressou a sua indignação nas redes sociais. “A Damares é mulher, foi nomeada como Ministra, foi abusada por três anos de sua infância… Mas ter visto Jesus num pé de goiaba fez um circo se montar em torno dela”, pontuou.

A youtuber Fabíola Melo, publicou um vídeo nesta segunda-feira (17/12), falando sobre o assunto. “As pessoas estão ridicularizando a história de uma mulher que está contando a sua superação a respeito de um abuso sofrido na infância, não sei como algumas pessoas conseguem achar isso engraçado”, ressaltou.

O escritor Leandro Karnal usou as redes sociais para se retratar após debochar de Damares. Karnal não sabia que a história contada por ela, tinha a ver com o episódio de pedofilia. “Soube depois e fiquei muito incomodado com minha atitude”, confessou.

O escritor pediu desculpas aos fãs e perdão à futura ministra que também é pastora. “Fui precipitado, julguei de forma equivocada e reagi de forma atabalhoada. Ironizei sem saber da dor e julguei uma concepção religiosa. Minhas postagens estavam distantes dos valores de tolerância e liberdade. Acredito nestes valores”, afirmou.

Após as ironias e deboches por parte da mídia e setores da sociedade, a advogada usou a suas redes sociais e agradeceu o apoio que recebeu das pessoas. “Quero agradecer a cada ligação, mensagem e abraço que recebi nestes dias. De maneira irresponsável e até mesmo maldosa, uma pequena parcela de pessoas zombaram da minha dor e da dor de milhões de crianças que foram e são vítimas de abuso sexual” destacou.