Em evento sobre equidade de gênero, Cinthia Ribeiro destaca os desafios das mulheres na atualidade

Durante a abertura do I Fórum Interinstitucional: Equidade de Gênero e Violência Institucional Contra a Mulher, na noite desta quinta-feira, 21, a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, falou sobre os desafios das mulheres na atualidade e a necessidade de uma atuação forte das instituições em defesa dos direitos destas mulheres e na construção de uma sociedade mais equitativa. O Fórum é organizado pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Núcleo de Prevenção e Assistência a Situações de Violência de Palmas (Nupav), em parceria com o Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da DPE (Nudem) e terá continuidade nesta sexta-feira, 22.

 

“Esse Fórum traz para o debate uma dinâmica muito importante no seio de nossa sociedade: a violência e o assédio moral e sexual contra as mulheres. Quando uma mulher é agredida toda a sua família e toda a sociedade também sofrem esta agressão. Trabalhar isso de forma intersetorial e interinstitucional fortalece cada vez mais essa luta contra a violência e reforça o compromisso que a gestão pública e a sociedade civil organizada possuem, em de fato, construir políticas cada vez mais fortes no sentido de dar garantias para que essas mulheres possam avançar cada vez mais na construção de seus direitos e de uma sociedade mais justa e equitativa”, destacou Cinthia Ribeiro.

 

A prefeita também falou da participação das mulheres na gestão municipal. “Hoje temos 72% dos cargos de 1º e 2º escalões ocupados por mulheres na nossa gestão. E no nosso quadro de efetivos temos 58% dele formado por servidoras. Temos mulheres comandando pastas como a Procuradoria Geral do Município, Secretaria de Finanças, Casa Civil, Agência de Regulação de Palmas, mulheres no comando da Guarda Metropolitana, Agência de Trânsito e Transportes e outros espaços importantes da Administração Municipal”, citou a gestora.

 

Ainda na abertura os participantes assistiram às palestras Gênero uma Construção Social, com a professora Dra. Temis Gomes Parente, Proteção Jurídica nos Casos de Violência Sexual e Moral com as Promotoras de Justiça Flávia Souza Rodrigues e Jacqueline Orofino da Silva.

 

“Não tem um dia sequer que não apareça na mídia casos de violência contra mulheres praticadas por parceiros ou ex-parceiros. O que é mais grave é que outros tipos de violência sequer são percebidas como tal, ou seja, não são notícias diárias e quando aparecem são de forma naturalizada, e aí está inclusa a violência institucional contra a mulher. Esta é uma oportunidade de revermos e ampliarmos nossos conhecimentos sobre a origem da cultura opressora que tem sido praticada permanentemente por diversas áreas do conhecimento, tanto o cientifico quanto à vivência prática, popular. Aqui lançamos o desafio da desconstrução de matrizes negativas que impedem a plena cidadania de pessoas no planeta e assim a construção de um mundo melhor para todos”, frisou Temis Parente.

 

Os debates terão continuidade durante esta sexta-feira, 22, com as palestras Violência Doméstica: O Problema é Nosso, Direitos Humanos da Mulher na Contemporaneidade, Aspectos Psicológicos do Assédio, Assédio Moral e Sexual no Ambiente de Trabalho e Violência Sexual contra a Mulher. Também será realizada uma mesa redonda com os temas Estratégias para romper o assédio moral, Estratégias para romper o assédio sexual.