Pastores da Venezuela estão desesperado e pedem oração pelo país em carta

Em “carta aberta” líderes de igrejas evangélicas do país pedem ajuda aos cristãos para que orem pela Venezuela. Pastores critica o governo e comparam o presidente Nicolás Maduro a Hitler.

A carta foi divulgada pelos pastores Moisés Betancourt, Jesús Pinto, Carlos Vielma e Elías Hernández. Iniciativa foi após o presidente Nicolás Maduro dizer que irá concorrer à reeleição. Para os líderes, a situação no país pode piorar.

O documento foi publicado na página do “Cristianos por Venezuela”, no facebook. O texto ganhou repercussão em várias mídias em espanhol pelo tom pesado das críticas.

“Nós, pastores cristãos pela graça de Deus em Caracas, pedimos aos conservos em todo o mundo que sejam nossa voz diante do Pai e diante deste mundo. O que está acontecendo nessa nação não tem precedentes históricos. Na era moderna, apenas Adolf Hitler, demonstrou tamanha crueldade”, diz o documento.

PROBLEMAS NO PAÍS
No texto, os pastores listam uma série de problemas que a população venezuelana vem enfrentando. Um deles é a fome.

Pastor Carlos Vielma foi um dos que assinou a carta. Foto: Facebook
“É muito doloroso observar com impotência a morte contínua e constante de seres humanos. Parte nosso coração e tentamos fazer todo o possível para ajudar a todos! Essas mortes ocorrem principalmente por causa da escassez de alimentos. Estamos em um país onde inúmeras pessoas morrem de fome (principalmente crianças). É doloroso ver as pessoas procurando nas lixeiras algo para comer! Esse nunca foi o desejo de nosso Senhor!”, denunciam os pastores.

Outro problema relatado é a saúde. Segundo os pastores, várias pessoas já morreram por falta de medicamentos. Além disso, eles mencionaram a questão econômica que só se agrava. “É impossível para qualquer ser humano viver sob essa inflação desproporcional. Os preços podem subir até 50% no mesmo dia, isso se você conseguir achar o produto”.
A carta fala também sobre o desaparecimento e execução de pessoas. Um destaque é para o caso de Oscar Pérez. É um militar dissidente que foi executado com um grupo de pessoas no dia 14 de janeiro. O motivo foi por que eles se opunham ao governo Maduro. Cientes que se tratou de uma execução clara, os pastores dizem que decidiram se manifestar. Mesmo sabendo que passam a correr risco de vida por assinarem o documento.

Embora não exista uma perseguição declarada aos evangélicos na Venezuela, eles dizem que há pastores sendo ameaçados. “Nós estamos fazendo isso porque nosso Senhor nos deu o exemplo em Jesus Cristo, que estava disposto a morrer na cruz para resgatar a vida dos outros. Nós acreditamos firmemente que o Senhor está no controle. Embora não tenhamos ideia de qual será o impacto desta carta, estamos convencidos de que nossas vidas e esta nação pertencem ao Senhor Jesus Cristo!”, afirmam eles no documento.

Os pastores encerram a carta pedindo que sua mensagem seja divulgada. A intenção é para que o mundo saiba o que ocorre naquele país. Eles clamam pela intercessão dos cristãos de todo o mundo em favor da Venezuela.

Para ter acesso ao documento acesse aqui.