Cristina Mel abre o coração e fala sobre como enfrentou o processo de adoção

Cantora revelou que Deus lhe avisou que não teria filhos biológicos

A cantora Cristina Mel falou sobre a sua dor ao não poder gerar filhos por muitos anos.Muita expectativa e lágrimas marcaram o tempo de espera da cantora

“O dia das mães está chegando, e com ele uma doce e profunda recordação.
Ainda lembro como se fosse hoje as noites que eu passava na presença de Jesus, desejando, orando por meu tão sonhado bebê.Muitas foram as tentativas, tratamentos caros, desgaste físico e emocional”,desabafou a cantora.

Porém,um episódio especial marcou a vida de Cristina como um experiência de muita determinação e fé:

“Em uma madrugada o Senhor me acordou e disse que eu não geraria o meu bebê. Aos poucos fui entendendo que o meu bebê viria do coração dEle para o meu.A espera não foi fácil, e encontrar o meu filhinho(a) foi um sonho gerado com muitas lágrimas e orações.
O telefone tocou, era o telefonema que eu tanto esperei durante anos!Minha Isabella chegou, linda e doce, cheia de amor.Vale a pena acreditar, vale a pena sonhar, vale a pena esperar, ainda que chorando, o tempo do Senhor!Se Deus te disse um não, meu irmão, certamente Ele está preparando o melhor pra você”,incentivou a cantora aos que não podem gerar fisicamente um filho,mas o podem no coração.

Cristina Mel é uma das sopranos mais respeitadas na música gospel.Muito sensata e humilde,a cantora também é dedicada a causas sociais.Cris,como é chamada,exerce um trabalho para crianças e lançou alguns singles importantes de alerta social.Em seu último trabalho infantil,Cristina Mel lançou uma música alertando as crianças sobre o perigo da pedofilia e como denunciar. Outro single recente da cantora falava sobre a violência doméstica.Cristina abriu o coração na música “a casa” e revelou que sofreu violência doméstica de seu pai quando era pequena.A cena lhe gerou marcas  na alma que com o tempo Cristina foi se recuperando.

Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo