Polícia Militar, Secretaria de Educação e Energisa firmam parceria para redução de consumo de energia

A Polícia Militar do Tocantins e a Secretaria de Educação (Seduc), foram selecionadas para participar do Programa de Eficácia Energética (PEE) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que é um incentivo à implementação de medidas de economia de energia.

E nesta segunda-feira, 02, o Comandante Geral da PM, Coronel Jaizon Veras Barbosa, acompanhado do Comandante do Policiamento da Capital, Coronel Francinaldo Machado Bó, da Coordenadora estadual do Proerd, coronel Alaídes Pereira Machado, do Comandante do 1º BPM, Tenente-coronel Nunes, e o Comandante do Colégio Militar, Major Rafael Crespo, estiveram na Sede da ENERGISA, onde foi assinado o termo do Programa de Eficácia Energética (PEE).

Na oportunidade os militares visitaram o Centro de Operação Integrada da Energisa no estado, que monitora todas as ações da empresa no estado do Tocantins, em tempo real.

As Unidades contempladas com o programa serão o 1º BPM e o Colégio Militar de Palmas 2, antigo CEM.

A escolha da PMTO foi feita por meio de chamada pública, onde a Empresa de Serviços de Conservação de Energia (ESCO) desenvolveu o projeto que visa à redução do consumo de energia.

A seleção é parte do Programa de Eficácia Energética (PEE) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que é um incentivo à implementação de medidas de economia de energia.

O programa é assegurado pelo Governo Federal, por meio da Lei nº 9.991/00, regulamentada pela Resolução Normativa nº 556, de 02 de julho de 2013, que determina que as empresas concessionárias dos serviços públicos de distribuição de energia elétrica devem aplicar, anualmente, o valor equivalente a 0,5% de sua receita líquida anual para o desenvolvimento de programas de eficiência energética, com projetos executados em instalações de consumidores.

O Programa de Eficácia Energética tem o objetivo de promover o uso eficiente da energia elétrica nos setores da economia por meio de projetos que demonstrem a importância e a viabilidade econômica de melhoria da eficiência energética de equipamentos, processos e usos finais de energia.

A iniciativa visa maximizar os benefícios públicos da energia economizada e da demanda evitada, além de promover a transformação do mercado de eficiência energética, com estímulo ao desenvolvimento de novas tecnologias e a criação de hábitos e práticas racionais de uso da energia elétrica.