Operação Policial demonstra alta capacidade de ação da PMTO e poder de resposta do estado frente criminalidade

 

A operação policial tem saldo até o momento de 04 criminosos mortos em confronto e apreensão de 02 (dois) Fuzis calibre 762, 01 (uma) pistola . 40 , 01 (um) revólver e 400 (quatrocentas) munições calibre 762.

A Policia Militar do Tocantins entrou no 13º dia da Operação Hórus Divisa na região do Vale do Araguaia iniciada após uma das quadrilhas mais perigosas do país tentar assaltar um carro forte na tarde do dia 24 de outubro de 2019.

Assista:

 

A quadrilha dos Pipocas oriunda de Quixada-CE tem em seu histórico diversos assaltos a carros fortes, bancos e autorias de morte de policiais.

O modus operandis utilizado pela quadrilha é o Novo Cangaço, modalidade em que os criminosos atacam carros fortes, invadem cidades, roubam agências bancárias utilizam armamentos de grosso calibre, dispostos a enfrentar todos, inclusive a polícia.

Mas nesse último evento da Quadrilha dos Pipocas as coisas deram erradas para o bando . Durante o ataque ao carro forte o veículo utilizado sofreu um acidente após revide dos vigilantes. Para empreender fuga tomaram de assalto um carro de uma pessoa que passava pelo local, porém outra vez perderam o controle do carro e se envolveram em outro acidente. Nesse ínterim policiais militares do 7º BPM (Guarai) e 8º BPM Paraíso fizeram o cerco e bloqueio e tropas especializadas foram enviadas, dando início a caçada ao bando em ambiente rural.

Assista:

O primeiro confronto ocorreu no 8º dia da operação e 02(dois) criminosos morreram. No dia seguinte novo confronto, com mais dois criminosos vindo a óbito, porém neste embate o policial militar Sgt Américo Gama foi atingido e não resistiu aos ferimentos. A morte do policial causou comoção em todo país e a Operação tomou grande proporção, juntando se aos policiais militares do Tocantins alguns agentes da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. O estado de Goiás e Pará enviaram equipes da PM em seus respectivos helicópteros.

Uma verdadeira operação de guerra com 200 (duzentos) policiais, 03 (tres) helicópteros, 50 viaturas foi montada envolvendo forças estaduais e federais de 03(três) .

O Ministério da Justiça e Segurança Pública considerou a integração de vários estados e a atuação interestadual do bando criminoso para decidir apoiar a Operação no quesito logística, através da Secretaria de Operações Integrada.

A resposta do estado foi dada na medida certa e a saga criminosa da Quadrilha dos Pipocas chega ao fim com a morte de 4 (quatro) membros em solo tocantinense, dentre eles o líder Neudo Pipoca e seu irmão.

Criminosos que morreram em confronto com a PM:

-José Francisco Gomes de Lima, de 40 anos;
-José Airton Ferreira Lima, 54 anos;
-Elineudo Oliveira Silva 47 anos;
-Edineudo Oliveira Silva, 45 anos.

Etiquetas
Comentários
avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo